Treinamento tático da recepção de saque




http://www.procrie.com.br/wp-content/uploads/2010/11/Atletas-BRASILEIRAS-NA-RECEP%C3%87%C3%83O-DO-SAQUE..jpg

A base de uma boa recepção do saque, muitas vezes não está na qualidade técnica das atletas que fazem parte da recepção, mas de uma boa estrutura tática.

Preocupa-se em primeiro lugar, como definir as atletas que fariam parte desta estrutura, observando os seguintes aspectos: qualidade técnica da execução da manchete, condições de adaptação ao esquema tático proposto, coragem, qualidade de deslocamentos. A proposta foi de utilizarmos a estrutura de três passadoras nas seis posições. Nossas passadoras seriam as jogadoras atacantes de ponta e a Libero, tendo como opção a jogadora oposta para algumas situações de jogo. A recepção com quatro atletas seria utilizada quando, nosso adversário utilizasse um saque em salto (tipo viagem) com força e eficiência.

Nos treinamentos técnicos foram treinadas além da parte técnica a relação entre as jogadoras da posição 6 e 1 e das posições 6 e 5, alternando as atletas. As novas táticas de saque (saque partindo de qualquer ponto de fundo quadra) a partir de 1996 promoveram uma grande alteração no sistema de recepção. Muitas vezes o jogador que executa a recepção deverá atacar do fundo. Numa mesma sessão de treinamento a recepção deve ser treinada de forma variada, para que haja uma boa adaptação das atletas as situações solicitadas no jogo.

A atleta deve realizar gestos que serão aplicados no jogo, na sequência do jogo, tomando decisões nos momentos adequados. Treinamentos devem ser realizados prevendo estas situações, tais como jogos de 1 x 1, atacante de fundo contra atacante de fundo após a recepção, obrigando a efetivação do ataque, independente do tipo de saque aplicado pelo adversário. A qualidade da recepção definirá a possibilidade do primeiro ataque da equipe e a velocidade do jogo. No período da tarde os treinamentos foram dirigidos para esta relação, ou seja, o treinamento das situações de jogo, com "jogos combinados", exercícios que proporcionam situações imprevistas e situações preestabelecidas de jogo.

O ajuste da recepção dependendo da colocação do sacador adversário, e do tipo de saque, deve ser treinada em situações de continuidade de jogo. Uma das formas que podemos utilizar são os exercícios em forma de competição.

Exemplo: Saque e Recepção 3 contra 3; duas equipes sendo uma em recepção e outra em saque. A equipe que saca efetua 20 saques, a pontuação para a equipe que recebe é feita a cada recepção perfeita ou a cada erro de saque do adversário, perdendo um ponto a cada "ace" do adversário. Após os 20 saques, troca-se de função, passando a equipe que sacou a receber e vice e verso.

Vence o jogo, aquele que realizar maior numero de pontos em melhor de 5 sets. No Anexo XXII, Campeonato Mundial Juvenil, apresenta-se situações de jogo, onde a tática de recepção foi modificada em função da eficiência do saque adversário. Optou-se pela inclusão da jogadora de saída de rede (oposta a levantadora) para receber o saque da equipe da República Theca, pois estas estavam dirigindo o saque nas nossas jogadoras de ponta. Esta tática de saque estava atrasando o ataque e com tal mudança retomamos o controle do jogo.


Comente: