O uso do DVD no contexto da escola fundamental







Diante dos problemas do ensino e da necessidade de atrair os alunos a uma aprendizagem significativa, interessante e descontraída, surge então a proposta de fazer do vídeo e da televisão aliados do saber. Pois ambos causam nos alunos uma expectativa positiva que devemos aproveitar.
Segundo (Moran), a linguagem audiovisual desenvolve múltiplas atitudes perceptivas: solicita constantemente a imaginação e reinveste a afetividade com um papel de mediação primordial no mundo, enquanto que a linguagem escrita desenvolve mais o rigor, a organização, a abstração e a análise lógica.

O vídeo, parte do concreto, do visível, do imediato, é como se tocássemos, presenciássemos aos acontecimentos através dos recortes visuais, do close, do som estéreo envolvente. TV e vídeo encontraram a fórmula de comunicar-se com a maioria das pessoas, tanto crianças como adultos, visto que usam linguagem simples que atingem a sensibilidade e passam a informação de modo compacto, com sínteses rápidas, apresentação variada e ilustrada, exigem pouco esforço e envolvimento do receptor, mas cativam muito a atenção e promovem facilmente a assimilação do conhecimento.

E visto que a escola é a instituição que se propõe a facilitar essa apropriação do saber, é ela quem deve fazer pleno uso dos recursos tecnológicos existentes. Sendo assim, os professores devem se propor trabalhar o vídeo no processo educativo de modo dinâmico, criativo, interdisciplinar para oportunizar aos nossos alunos o saber e o desenvolvimento de suas habilidades e competências.
Atualmente,torna-se necessário a integração dos meios de comunicação na escola, uma vez que estes já fazem parte do universo educativo da criança, antes mesmo que ela chegue aos bancos escolares. Pois é através da mídia, sobretudo da televisão, com a qual o DVD está intrinsecamente ligado, que a criança aprende a conhecer os outros, o mundo e a si mesma, numa relação prazerosa, sedutora e emocional (Moran, 2006).

O DVD é um recurso acessível e presente em quase todas as escolas podendo ser explorado das mais diferentes formas: destacando as cores, movimento, fala, gesto, música, o espaço, conflito, amizade, linguagem audiovisual e pode ainda desenvolver múltiplas reações, emoções, imaginação, afetividade, ódio, etc. Além disso, cada professor, se quiser, pode documentar o que é mais importante para o seu trabalho, ter o seu próprio material de vídeo assim como tem os seus livros e apostilas para preparar suas aulas. “O professor estará atento para gravar o material audiovisual mais utilizado, para não depender sempre do empréstimo ou aluguel dos mesmos programas” (Moran 2006).

Hegel (1972) afirma que "a vista e o ouvido são, precisamente, os sentidos adequados às manifestações puras e abstratas". Assim, o audiovisual alcança níveis da percepção humana que outros meios não. Portanto, urge à educação escolar, compreender o funcionamento desse tipo de linguagem e incorporá-la à sala de aula, explorando, pedagogicamente, suas mais diversas possibilidades de expressão. Pois estas tecnologias podem ser inserida, harmoniosamente, na escola e potencializar a aprendizagem, se forem integradas às práticas pedagógicas com vista a democratização da informação, da interação social, da socialização de experiência, da produção e disseminação de conhecimentos.

O vídeo, sem dúvida, é um valioso recurso didático, mas não resolve os problemas crônicos do ensino-aprendizagem se for usado sem objetivo pedagógico. Como ele está ligado a um contexto de lazer e entretenimento tem que aproveitar esta oportunidade e criar uma ponte de ligação entre as várias ciências e áreas do conhecimento, permitindo que ocorra um aproveitamento interdisciplinar. Desta forma, o professor, ao incluir este recurso na sua prática pedagógica, tem que “ser criativo no planejar” e “inovar suas aulas” afim de conseguir uma aprendizagem significativa. Pois o processo educativo somente acontece quando o estudante encontra sentido naquilo que faz (GUTIERREZ, 1995).

Ao utilizar o DVD, o professor precisa estar consciente de que “não basta apenas usar este recurso nas aulas e as aulas estarão inovadas” é necessário ter um planejamento com objetivos claros e definidos, de modo que propicie a aprendizagem mobilizadora das dimensões cognitivas, social e afetiva dos alunos. Além de tomar certos cuidados como não comentar ou pré-julgar o filme a ser exibido, pois tirará do aluno a capacidade de imaginar, interpretar, e finalmente expressarem seu ponto de vista.

Da mesma forma que esta tecnologia pode se tornar um aliado importante para o professor aproximar a sala de aula do cotidiano, das linguagens de aprendizagem e comunicação da sociedade, bem como introduzir novas questões no processo educacional, e tornando as aulas mais reais para os alunos; O uso do DVD pode se tornar também um problema, se o professor exagerar na sua utilização ou usá-lo como tapa-buraco ou enrolação, pois as aulas se tornarão repetitivas e enfadonhas, diminuindo ou até anulando a eficácia deste recurso.

Sendo assim, pode-se afirmar que esta mídia é riquíssima como proposta pedagógica, no sentido de ilustrar e enriquecer as aulas. Se utilizado na medida certa, é altamente motivador, para o aluno, que vê nessas possibilidades uma espécie de “fuga” dos modelos de aulas enfadonhas de “quadro-negro, explicações e anotações”, e também para o professor, que se utiliza de mais subsídios para sedimentar suas aulas e fazer delas momentos interessantes de ensino-aprendizagem.

Referências Bibliográficas

COUTINHO, Laura Maria - Aprender com o vídeo e a câmera. Para além das câmeras, as idéias...
GUTIERREZ, 1995. Relações que Geram Processos Educativos...

HEGEL, G. W. F. Estética: a idéia e o ideal. Lisboa: Guimarães Editores, 1972.

MORAN, José Manuel. “Ensino e aprendizagem inovadores com tecnologias audiovisuais e telemáticas”. In: MORAN, José Manuel e outros. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas: Papirus, 2006.

MORAN, José Manuel - O Vídeo na Sala de Aula...

MORAN, José Manuel - Desafios da televisão e do vídeo à escola...

MORAN, José Manuel – Propostas de Utilização do Vídeo e DVD...

Fonte


Comente: