Suplementação alimentar na Natação




Natação Maria Lenk Joanna Maranhão (Foto: Satiro Sodre/SSPress)

A natação é um esporte que exige um esforço generalizado de seu corpo, mesmo para os não profissionais, uma alimentação adequada e os suplementos certos podem melhorar o rendimento do atleta embaixo d'água, além de auxiliá-lo na recuperação fora dela. Já que seu desgaste é tão alto, ou maior, quanto outras atividades. Em treinos e competições o nível de exigência dos músculos é intenso, por isso é sempre importante um acompanhamento alimentar.

A composição corporal dos nadadores varia segundo o estilo desenvolvido e a intensidade do treinamento. Assim, velocistas utilizam mais as vias metabólicas da fosfocreatina e glicolítica alática, o que determina a necessidade de treinamento de força; enquanto os nadadores de resistência lançam mão da via metabólica glicolítica lática como fonte energética para o exercício.


Suplementação Nutricional para Atletas
Curso online de Suplementação Nutricional para Atletas

A ingestão de carboidratos é importante para a garantia da manutenção dos estoques de glicogênio muscular e hepático, pois a depleção desses estoques de glicogênio e a queda da concentração de glicose sanguínea são limitantes para o desempenho em treinos e competições. Dessa forma, a prática de suplementação de carboidratos, juntamente com eletrólitos e água, é necessária para o atleta de alto desempenho. O lanche e/ou suplementação com carboidratos no pós-treino ou pós-competição, devem ser calculados a fim de repor os estoques de glicogênio, proporcionar ganho de massa magra e prevenir lesões. O período de tempo para garantir máxima reposição dos estoques de glicogênio é até 1h após o exercício; preferencialmente, a suplementação deve ocorrer já na primeira meia hora.

O uso de creatina como recurso ergogênico na natação, apresenta eficiência apenas para as provas de velocidade e curta duração. A dosagem recomendada de creatina está em 3g ao dia. Em provas de resistência e longa duração, os recursos ergogênicos adotados correspondem à manutenção do metabolismo enegético e da glicemia como forma de prolongar o exercício com eficiência, além da manutenção da hidratação e da concentração de eletrólitos.

A hidratação no esporte de natação é importante, pois a ingestão adequada de água está asssociada ao aumento do fluxo sanguíneo periférico e redução da temperatura corporal. A desidratação de 2% já é risco para câimbras e aumento da temperatura corporal. Desse modo, é recomendada a ingestão de 500 mL de água no período de 2h antes do exercício e, quando a atividade for superior a 1h, a reposição de água precisa ocorrer associada à margem percentual de 4 a 8% de carboidratos simples.

Em resumo, as recomendações dietéticas para o atleta de natação são: dieta fracionada (ao menos 5 refeições ao dia); hidratação durante treinos e competições; garantir que os estoques de glicogênio fiquem em níveis adequados por meio da ingestão dietética de 60 a 70% de carboidratos; refeição pré-competição rica em carboidratos de fácil digestão e baixo índice glicêmico; refeição pós-competição rica em carboidratos de alto índice glicêmico como forma de reposição do glicogênio muscular/hepático e incremento de massa magra.

Com ajuda de  ANutricionista.Com - Perla Menezes Pereira - CRN3 14198


Comente: