Exercício de Footwork para agilidade no Tênis





A agilidade pode ser definida como a capacidade de se deslocar em direções variadas e sequenciais, de forma rápida, coordenada e equilibrada, ela é um dos principais requisitos para uma movimentação de perna.
Provavelmente o ponto mais negligenciado pelo tenista amador. Confundido, por vezes, com velocidade.
A agilidade é, talvez, a mais importante das dicas tratadas nesse post. Um tenista ágil tem pernas ágeis e mãos ágeis. Mãos ágeis, como as de Alexandr Dolgopolov ou Key Nishikori, movimentam a raquete com tanta rapidez que produzem uma grande quantidade de spin na bola – ajudando seus golpes serem menos erráticos e mais pesados.
A agilidade de um tenista permite-o chegar equilibrado nas bolas mais difíceis  e permite-o usar seu melhor golpe para trabalhar o ponto.
Há exercícios de footwork que específicos para o tênis. Treinos com escadas de agilidade são os mais comuns. Uma escada de agilidade é uma boa ferramenta para se concentrar em footwork. Pisando entre os degraus da escada, passando por cima e pisar de lado a lado todos ajudá-lo a ter um bom jogo de pernas. Pisando muito baixo vai fazer com que você pisar na escada. Você deve ser capaz de definir o pé no chão com uma greve de médio-pé, que é usado para a corrida. A greve de calcanhar pode causar a pisar as linhas da escada.
Um exemplo que pode ser utilizado é posiciona-se a escada no fundo da quadra, paralela e próxima à linha lateral. O jogador pisa com um pé em cada vão da escada, tentando elevar os joelhos à frente do corpo. No término dos vãos, ele corre para a frente e faz um voleio. A posição da escada, assim como a direção do deslocamento (lateral ou frontal), pode variar, permitindo a realização de outros golpes ou jogadas.
Por exemplo: com a escada paralela na linha lateral, posicionada no centro da quadra, o jogador desloca-se frontalmente, do fundo até a rede, e, ao término dos vãos, recua para fazer um smash. Ou seja, a estrutura skip/deslocamento pode ser trabalhada de diversas maneiras. Além disso, a complexidade do movimento dos pés nos vãos da escada pode aumentar de acordo com a agilidade do jogador.

Para um jogador ser ágil, é preciso ser forte, coordenado, equilibrado, veloz e resistente. Treinar essas capacidades de forma isolada pode não ser indicado, uma vez que o jogo traz especificidades dificilmente igualadas.







Comente: