Sistemas Defensivos no Futsal





    
A essência do sistema defensivo repousa na constante busca de adaptação às características do ataque adversário, para a execução da defesa propriamente dita (recuperação da posse de bola), que pode ser centrada nas movimentações da bola, chamada defesa por zona, ou nas movimentações do individuo, chamada defesa individual (Bayer, 1994). A Marcação Individual pode ser realizada em toda quadra (pressão) ou na meia-quadra defensiva (meia pressão). Já a Marcação por Zona é sempre realizada na meia-quadra defensiva e apresenta duas variações no futsal - Losango (3x1) ou Quadrado (2x2) (Mutti, 1994).
    Para auxiliar a explicação destes diferentes sistemas defensivos a quadra será dividida em três áreas e as duas primeiras áreas em três zonas, conforme a figura 1.
    A escolha por um destes sistemas defensivos depende das características dos jogadores da equipe, do sistema tático utilizado pelo adversário e da situação do jogo. Por estes motivos torna-se importante o treino de todas as variações defensivas.

Fig.1 -A quadra é dividida em três ÁREAS e as duas primeiras áreas em três ZONAS

4.1. Marcação Individual
    A marcação individual caracteriza-se pelo confronto direto entre dois jogadores, o chamado homem-a-homem (1x1). Há uma definição prévia de marcação, onde cada jogador fica responsável pela marcação de um adversário (Mutti, 1994), fato que "força" o virtuosismo técnico, o individualismo. O posicionamento da equipe defensora é em função dos jogadores adversários. Esta marcação pode ser realizada na quadra toda ou somente na meia-quadra defensiva.
Pontos positivos:
  • Diminui a opção do passe, forçando o erro adversário;
  • Maior desgaste físico dos adversários pela necessidade de maior movimentação em busca de espaços;
  • Dificulta o chute de longa distância;
  • Reduz o tempo de posse de bola do adversário;
  • Diminui o tempo de reação do adversário para refletir sobre a jogada.
Pontos negativos:
  • Grande desgaste físico dos defensores, proporcional à movimentação dos atacantes;
  • Abre o meio da quadra, facilitando lançamentos, infiltrações e "bolas nas costas";
  • Dá maiores possibilidades de vantagem numérica ao adversário, na ocorrência de um drible, dificultando a recuperação e a cobertura.

4.1.1. Marcação Pressão
    Diferentemente da marcação por zona que espera o erro adversário para pressionar, a marcação pressão pressiona para forçar o erro. Esta marcação é a única caracterizada pelo avanço dos defensores até a Área 3 (Área de Ataque).
    Sua utilização ocorre quando a equipe está em desvantagem no placar e o jogo está próximo do fim; quando a equipe adversária apresenta dificuldades de movimentação ofensiva (capacidade técnica e/ou tática inferior) a fim de pressionar para não deixá-los jogar; ou quando um time possui um elenco de jogadores ágeis, rápidos e em ótima forma física (Mutti, 1994).
    Cada jogador fica responsável por um adversário e o "persegue" por toda a quadra, pra onde quer que ele se desloque (marcação homem-a-homem). É importante esperar a reposição de bola do goleiro para depois avançar pressionando, pois o avanço prematuro facilitará o lançamento de bola do goleiro para o pivô diretamente.

4.1.2. Meia Pressão
    É uma marcação parecida com a marcação pressão, porém os defensores não invadem a Área 3 (Ataque). Eles esperam os adversários na Área 2 encostando, seguindo e diminuindo o espaço dos atacantes a partir daí.
    Somente o homem de posse da bola é pressionado (Mutti, 1994). Isto diminui o desgaste físico dos defensores em relação à marcação pressão, mas aumenta o tempo de reação dos atacantes.
    Cada defensor fica responsável por um adversário (homem-a-homem também), mas, além disso, precisa fechar o meio (Zona C2) quando não estiver marcando o homem da bola.
    Às vezes podem ocorrer trocas de marcação, em virtude do rodízio da equipe adversária, mas estas devem ser bem comunicadas pela equipe.
4.2. Marcação por Zona
    Marcação caracterizada pelo posicionamento à meia-quadra, ou melhor, nas Áreas 1 e 2 (Defesa e Intermediária) - sempre atrás da linha da bola; pelas constantes trocas de marcações; e pela espera do erro adversário para roubar a bola e contra-atacar. Na maioria das vezes, estes contra-ataques são perigosos, pois pegam a defesa adversária desestruturada - na transição do posicionamento ofensivo para o defensivo. Neste tipo de marcação, cada defensor é responsável por determinada zona da quadra e pelo adversário que estiver nela (Mutti, 1994). O posicionamento dos defensores ocorre em função do deslocamento da bola (Bayer, 1994).
    É uma marcação utilizada quando a equipe adversária apresenta rápida e complexa movimentação, tem bons passadores, ótima técnica e condução de bola, um bom nível de treino ou quando o placar é desfavorável aos adversários.
Pontos Positivos:
  • Facilita a cobertura e a recuperação no caso do drible;
  • Menor desgaste físico dos defensores;
  • Proporciona perigosos contra-ataques;
  • Impossibilita as "bolas nas costas";
  • Fecha o meio de quadra (Zonas C1 e C2);
Pontos Negativos:
  • Possibilita o chute de longa distância;
  • Aumenta o tempo de posse de bola do adversário;
  • Encobre parcialmente a visão do goleiro.

4.2.1. Losango ou 3x1:
    Marcação utilizada contra equipes que utilizam o sistema tático 3x1 ou 3x2.
    O ala esquerdo cobre as zonas E1 e E2. O ala direito a zona D1 e D2. Já o fixo e o pivô cobrem uma área cada um, C1 e C2 respectivamente. (Fig. 2)
    Os alas devem fazer o "balanço" como os laterais do futebol de campo, ou seja, em caso de bola na ala oposta, eles recuam até sua zona correspondente na Área 1. Já quando a bola estiver na sua ala, eles avançam à Área 2. Exemplo: bola na ala direita - ala direito zona D2 / ala esquerdo zona E1. Bola na ala esquerda - ala direito zona D1 / ala esquerdo zona E2.
    O pivô deve fechar o meio (zona C2) impedindo que a bola seja lançada ao pivô adversário. Se isto acontecer ele deve voltar e fazer sanduíche no adversário, juntamente com o fixo do seu time. O fixo, além de estar preocupado com o pivô adversário, precisa estar sempre atento à cobertura dos outros jogadores, pois é o último homem

Fig 2. Posicionamento em função da bola

4.2.2. Quadrado ou 2x2:
    Marcação utilizada contra equipes que jogam no sistema 2x2 ou 4x0.
    Nesta marcação dois jogadores posicionam-se na Área 1, um na zona E1 e outro na zona D1. Os outros dois jogadores ficam nas zonas E2 e D2. Juntos, eles formam um quadrado imaginário.
    Os jogadores posicionados na Área 2 fazem uma movimentação pendular: enquanto um vai na bola, o outro fecha o meio (intercessão entre as zonas E2 e D2) aquém da linha do primeiro (Fig. 3). Já os dois posicionados na Área 1, mantém suas posições e encostam nos adversários que "adentram" sua zona.



Quer saber mais sobre Sistemas Defensivos? Tenha a aula de Sistema Defensivo dos DVDs Sports ou veja aulas de outros temas.



Comente: